NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum NovaCrítica-vinho.com
Forum de Discussão
 
 FAQFAQ   PesquisarPesquisar   MembrosMembros   GruposGrupos   RegistrarRegistrar 
 PerfilPerfil   Entrar e ver Mensagens ParticularesEntrar e ver Mensagens Particulares   EntrarEntrar 

Entrevista com Luis Gutiérrez/elmundovino.com
Ir à página 1, 2, 3, 4, 5  Próximo
 
Novo Tópico   Este Tópico está Bloqueado. Você não pode editar mensagens ou responder    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Entrevistas On-line
Exibir mensagem anterior :: Exibir próxima mensagem  
Autor Mensagem
NCritica
Site Admin


Registrado: Segunda-Feira, 22 de Janeiro de 2007
Mensagens: 212
Localização: Portugal

MensagemEnviada: Sex Mar 13, 2009 2:14 pm    Assunto: Entrevista com Luis Gutiérrez/elmundovino.com Responder com Citação

Caros foristas e demais leitores,

Alguns poderão não estar a fazer uma associação imediata mas, para os familiarizados com o mundo do vinho, Luis Gutiérrez dispensa apresentações.

A viver na capital espanhola, e enquanto quadro de uma multinacional, Luis Gutiérrez desempenha funções de gestão. E, é nos tempos livres que se dedica às duas grandes paixões da sua vida: a família e o vinho.

Para além de integrar o painel de provadores do elmundovino.com , escreve noutras publicações espanholas ligadas ao jornal El Mundo e, simultaneamente, é colaborador para a área de vinhos e gastronomia de outras publicações em Espanha, em Porto Rico e no Reino Unido. Em Portugal tem uma coluna de opinião na revista Wine.

Escreve frequentemente sobre vinhos e regiões estrangeiras (sobretudo Borgonha, Champagne, Rhône e Riesling alemães) mas, como é óbvio, Espanha concentra a maior parte do seu trabalho.

Interessado pelas gastronomias locais/regionais das paragens por onde viaja, não esconde que procura sempre conhecer os traços humanos/cullturais que fazem a história dos grandes vinhos.

É Cavaleiro da Confraria do Vinho do Porto (Douro e Porto), sendo inequívoco na sua postura um carinho muito especial pelos vinhos durienses. Mas, como costuma confessar nas conversas entre amigos, o seu coração não está na Península Ibérica mas... na Borgonha!

É um privilégio para a Nova Crítica - Vinho & Gastronomia poder receber Luis Gutiérrez.

É já a partir da próxima segunda-feira.

Imperdível...!

Nova Crítica - Vinho & Gastronomia
Paulina Mata
Pedro Gomes
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail Visitar a homepage do Usuário
Pedro Gomes



Registrado: Segunda-Feira, 25 de Outubro de 2004
Mensagens: 1102
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 12:56 am    Assunto: Responder com Citação

Caro Luis Gutiérrez,

Começo por agradecer-lhe, em meu nome pessoal e em nome da Nova Crítica-Vinho & Gastronomia, a prontidão com que aceitou este convite. É um prazer imenso poder contar consigo neste espaço.

Vamos todos tentar simplificar o português... mesmo que as perguntas não sejam de resposta fácil. First round...

À semelhança do que aconteceu em Portugal, os vinhos espanhóis viveram uma verdadeira revolução nas últimas três décadas.

1- Para essa mudança que impacto teve a adesão de Espanha à União Europeia em 1986?

2- O que melhorou nestes últimos 20/30 anos?

3- O que correu menos bem?

4- O que está por fazer em benefício dos vinhos espanhóis?

5- Em Dezembro de 2005, num artigo de José Manuel Calvo para o El Pais -EP (S) EXTRA-, Robert Parker dizia:

"Para mí, España ha asumido mejor que ningún otro país que hay que tener un pie en el futuro, en elaboraración y mercadotecnia, y otro en la tradición. Eso ha desembocado en el respeto por variedades como el tempranillo, pero también en esos vinos de Yecla, de Jumilla, de Toro, de Navarra, de Monzón, de La Mancha, del Bierzo... Quién había oído hablar del Bierzo? Se debe al trabajo brillante de generaciones jóvenes de hombres y mujeres".

Concorda com esta visão? Mas, reconhece que este texto também podia ser adaptado à realidade portuguesa?


Um grande abraço e... até já!

Pedro
_________________
Nova Crítica-Vinho & Gastronomia
Paulina Mata
Pedro Gomes
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Rui Lourenço Pereira



Registrado: Terça-Feira, 8 de Janeiro de 2008
Mensagens: 356
Localização: Algures...

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 8:43 am    Assunto: Responder com Citação

Luiz,

Bom dia e bem vindo.

Só nos conhecemos na última Essência do Vinho (junto dos vinhos do Álvaro Castro), mas tenho seguido o seu trabalho à algum tempo.

- Qual acha que tem sido a evolução dos vinhos portugueses?
- Podem assumir alguma posição de destaque no panorama internacional?
- Considera haver outras regiões em Portugal para além do Douro?
- O que fazer para nos assumirmos internacionalmente?

Voltarei mais tarde. Abraço,
_________________
rlp

www.artmeetsbacchus.blogspot.com
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Abílio Neto



Registrado: Quinta-Feira, 1 de Setembro de 2005
Mensagens: 3677

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 10:31 am    Assunto: Responder com Citação

Caro Luis Gutierrez,

Para começar, 3 perguntas:

- Visto de fora, parece à enofolia que em Espanha se está a trabalhar muito bem castas autoctones e castas menos internacionais, visto de dentro, é mesmo asssim?

- Os V/ paíneis de prova no EMV... dão muito que falar e comentar em Espanha e não só, aquilo é rigor ou é «birra» ou mania a um estilo de vinho?

- Peñin é o Parker de espanhol, sob qualquer conceito?
_________________
Abraços,

Abílio Neto
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
André Braga da Cruz



Registrado: Domingo, 9 de Outubro de 2005
Mensagens: 388
Localização: Braga

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 5:52 pm    Assunto: Responder com Citação

Caro Luis Gutiérrez:

Foi um prazer coincidir consigo na vertical do Soalheiro, durante a Essência.

Aproveito para lhe colocar algumas questões:

- Qual a sua opinião sobre esta nova "onda" dos vinhos tintos Galegos? Acha que as D.O. galegas (Ribeira Sacra, Monterrei, e mesmo Ribeiro) têm potencial para fazer grandes tintos?

- Raul Pérez tem-se afirmado como um das grandes surpresas da enologia em Espanha. O que acha do seu trabalho?

- Os vinhos do Bierzo têm obtido nos últimos tempos bastante notoriedade, tanto a nível interno como externo. Acha que é mais uma moda, ou realmente as "cepas viejas" de Mencía fazem a diferença?

- Espanha têm uma imensidão de D.O., e nos últimos tempos tenho tentado explorar as menos conhecidas. É capaz de nos dizer alguns vinhos que aprecie e que sejam pouco falados?

Obrigado.
_________________
André Braga da Cruz

In victory, you deserve Champagne, in defeat, you need it. - Napoleon Bonaparte
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Luis Gutiérrez



Registrado: Sexta-Feira, 23 de Julho de 2004
Mensagens: 49
Localização: Madrid, Espanha

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 8:53 pm    Assunto: Responder com Citação

Pedro Gomes escreveu:
Caro Luis Gutiérrez,

Começo por agradecer-lhe, em meu nome pessoal e em nome da Nova Crítica-Vinho & Gastronomia, a prontidão com que aceitou este convite. É um prazer imenso poder contar consigo neste espaço.

Vamos todos tentar simplificar o português... mesmo que as perguntas não sejam de resposta fácil. First round...

À semelhança do que aconteceu em Portugal, os vinhos espanhóis viveram uma verdadeira revolução nas últimas três décadas.

1- Para essa mudança que impacto teve a adesão de Espanha à União Europeia em 1986?

2- O que melhorou nestes últimos 20/30 anos?

3- O que correu menos bem?

4- O que está por fazer em benefício dos vinhos espanhóis?

5- Em Dezembro de 2005, num artigo de José Manuel Calvo para o El Pais -EP (S) EXTRA-, Robert Parker dizia:

"Para mí, España ha asumido mejor que ningún otro país que hay que tener un pie en el futuro, en elaboraración y mercadotecnia, y otro en la tradición. Eso ha desembocado en el respeto por variedades como el tempranillo, pero también en esos vinos de Yecla, de Jumilla, de Toro, de Navarra, de Monzón, de La Mancha, del Bierzo... Quién había oído hablar del Bierzo? Se debe al trabajo brillante de generaciones jóvenes de hombres y mujeres".

Concorda com esta visão? Mas, reconhece que este texto também podia ser adaptado à realidade portuguesa?


Um grande abraço e... até já!

Pedro


Caro Pedro e amigos, muito obrigado pelo convite. Creo que será mejor para todos si contesto en español. Si ficamos 'lost in translation' siempre podemos pedir la ayuda de João Roseira! Laughing

Bueno, lo que me preguntas no es nada fácil, pero bueno, lo intentaré:

1- La entrada en la unión europea nos obligó a seguir muchas normas y reglas, a formalizar muchas cosas, que obviamente tuvieron su impacto en la calidad.

2- Precisamente pienso que es la calidad lo que mejoró en estos últimos 20-30 años. Pasamos de cantidad a calidad, el vino pasó de ser un alimento a empezar a ser cultura.

3- La separación entre la propiedad de la viña y de la bodega. Con intereses diferentes es difícil potenciar el vino de calidad.

4- ¿Qué está por hacer? La viticultura. Pero creo que ya hay mucha gente que se ha dado cuenta de ello...

5- No leo mucho El País (un poco más El Mundo Wink ), pero bueno, creo que sí que hay cierta razón, aunque obviamente también hemos cometido errores. Ha habido momentos en los que hemos despreciado bastante las tradiciones, aunque afortunadamente luego hemos vuelto a mirar a ellas. Y sí, casi siempre hay un paralelismo entre España y Portugal, y en este caso también...

Saludos,

Luis
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Spice Girl



Registrado: Quarta-Feira, 4 de Janeiro de 2006
Mensagens: 6059
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 9:52 pm    Assunto: Responder com Citação

Caro Luiz Guiérrez

Começo por agradecer-lhe ter aceite o nosso desafio para participar nesta entrevista e a sua disponibilidade para responder às nossas questões.

Aqui ficam algumas...

1 - Nos últimos anos a cozinha em Espanha atingiu um desenvolvimento que a colocou na vanguarda do que se faz actualmente e lhe deu uma visibilidade por todo o mundo. O trabalho de muito Chefs em Espanha atrai gastrónomos de todos os continentes. Este interesse reflectiu-se também no interesse destes pelos vinhos espanhóis?

2 - Qual é a sua opinião quanto à forma como os vinhos são tratados na restauração em Espanha?

3 - Há cada vez mais mulheres ligadas a vários aspectos relacionados com a produção de vinhos. Há cada vez mais mulheres a comprar e beber vinho.
Há vinhos de mulheres? Há vinhos para mulheres? Ou seja há características proprias dos vinhos feitos por mulheres e/ou dos vinhos consumidos por mulheres?
_________________
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Luis Gutiérrez



Registrado: Sexta-Feira, 23 de Julho de 2004
Mensagens: 49
Localização: Madrid, Espanha

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 11:07 pm    Assunto: Responder com Citação

Rui Lourenço Pereira escreveu:
Luiz,

Bom dia e bem vindo.

Só nos conhecemos na última Essência do Vinho (junto dos vinhos do Álvaro Castro), mas tenho seguido o seu trabalho à algum tempo.

- Qual acha que tem sido a evolução dos vinhos portugueses?
- Podem assumir alguma posição de destaque no panorama internacional?
- Considera haver outras regiões em Portugal para além do Douro?
- O que fazer para nos assumirmos internacionalmente?

Voltarei mais tarde. Abraço,


Olá Rui,

Hace años que tengo una gran confianza en los vinos portugueses, y he visto un gran avance en su calidad, de vinos rústicos y polvorientos (sorry!) a sofisticados y con gran personalidad. Y tengo la confianza de que ya están ganando su lugar en la escna internacional, pero que la cosa irá a más.

Pienso que Dão y Vinho Verde tienen mucho potencial que todavía no se ha conseguido realizar al máximo. Hay zonas como Bairrada que a mi me encanta, pero que veo con más dificultad internacionalmente.

Creo que lo que hay que hacer es buscar vinos con carácter, con personalidad propia, que no se puedan hacer en otros lugares del mundo. Y buscar la calidad. Claro que hay diferentes realidades y mercados del vino, yo me refiero al de vinos de calidad. Al de volumen y precio no me refiero porque no lo conozco, pero tampoco me interesa...

Un saludo,

Luis
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Luis Gutiérrez



Registrado: Sexta-Feira, 23 de Julho de 2004
Mensagens: 49
Localização: Madrid, Espanha

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 11:14 pm    Assunto: Responder com Citação

Abílio Neto escreveu:
Caro Luis Gutierrez,

Para começar, 3 perguntas:

- Visto de fora, parece à enofolia que em Espanha se está a trabalhar muito bem castas autoctones e castas menos internacionais, visto de dentro, é mesmo asssim?

- Os V/ paíneis de prova no EMV... dão muito que falar e comentar em Espanha e não só, aquilo é rigor ou é «birra» ou mania a um estilo de vinho?

- Peñin é o Parker de espanhol, sob qualquer conceito?



Abilio, pienso que no es obligatorio hacer tres preguntas... Laughing

Só, lo que dices es verdad, ahora se están recuperando muchas castas autoctonas, como garnacha, monastrell, bobal, cariñena, graciano e incluso otras mucho más pequeñas como la mandó, callet, rufete, prieto picudo, pero hubo un momento en que parecía que la tempranillo lo iba a ocupar todo, y en otro en que las castas internacionales se imponían en algunas regiones. Curiosamente las regiones que apostaron por las castas internacionales, Navarra, Penedès y Somontano, son las que más están sufriendo en este momento...

Nuestras catas son pole´micas porque catamos estrictamente a ciegas, y siempre se publican los resultados tal y como son. Ninguno de los que colaboramos en elmundovino.com dependemos de esa colaboración para vivir, lo que nos da una gran independencia. Todos tenemos nuestros gustos, pero lo que intentamos es calificar los vinos lo más objetivamente posible, dentro de la subjetividad, pues en cualquier caso no es más que una opinión.

¿Peñín y Parker? A Parker no lo conozco personalmente, pero por lo que se me parece que no se parece demasiado a Peñín. Yo tengo un gran respeto a Peñín, ha trabajado mucho y ha hecho mucho por el vino. Y sigue trabajando con ilusión, tal vez le visteis recientemente en Essência!

Abraço,

Luis
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Luis Gutiérrez



Registrado: Sexta-Feira, 23 de Julho de 2004
Mensagens: 49
Localização: Madrid, Espanha

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 11:21 pm    Assunto: Responder com Citação

André Braga da Cruz escreveu:
Caro Luis Gutiérrez:

Foi um prazer coincidir consigo na vertical do Soalheiro, durante a Essência.

Aproveito para lhe colocar algumas questões:

- Qual a sua opinião sobre esta nova "onda" dos vinhos tintos Galegos? Acha que as D.O. galegas (Ribeira Sacra, Monterrei, e mesmo Ribeiro) têm potencial para fazer grandes tintos?

- Raul Pérez tem-se afirmado como um das grandes surpresas da enologia em Espanha. O que acha do seu trabalho?

- Os vinhos do Bierzo têm obtido nos últimos tempos bastante notoriedade, tanto a nível interno como externo. Acha que é mais uma moda, ou realmente as "cepas viejas" de Mencía fazem a diferença?

- Espanha têm uma imensidão de D.O., e nos últimos tempos tenho tentado explorar as menos conhecidas. É capaz de nos dizer alguns vinhos que aprecie e que sejam pouco falados?

Obrigado.


André, goste muito da prova de Soalheiro. 1994 rocks!!

Pienso que los tintos de Galicia y del noroeste en general van a dar mucho más que hablar. Dado el giro en el gusto hacia vinos más frescos y con acidez, en esta zona hay las condiciones climáticas y las castas precisas para hacerlos.

Raúl Pérez es un crack! Es un fenómeno! Por supuesto que unos vinos me gustan más que otros, pero en general me gustan. Y me gusta el tipo. Ahora está haciendo un vino en Douro con alguién importante allí...

Lo del Bierzo pienso que no es moda, la casta, en las condiciones determinadas, viñas viejas en ladera, a bastante altura y en suelos pobres, produce unos vinos con mucho carácter. ÁLvaro Palacios me lo explicó el primero: a medio camino entre Ródano y Borgoñas. Y tenía razón.

Para mi los más grandes vinos de España son los vinos de Jerez. Por desgracia totalmente desconocidos.

Un saludo (y una copa de Soalheiro!),

Luis
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Luis Gutiérrez



Registrado: Sexta-Feira, 23 de Julho de 2004
Mensagens: 49
Localização: Madrid, Espanha

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 11:26 pm    Assunto: Responder com Citação

Spice Girl escreveu:
Caro Luiz Guiérrez

Começo por agradecer-lhe ter aceite o nosso desafio para participar nesta entrevista e a sua disponibilidade para responder às nossas questões.

Aqui ficam algumas...

1 - Nos últimos anos a cozinha em Espanha atingiu um desenvolvimento que a colocou na vanguarda do que se faz actualmente e lhe deu uma visibilidade por todo o mundo. O trabalho de muito Chefs em Espanha atrai gastrónomos de todos os continentes. Este interesse reflectiu-se também no interesse destes pelos vinhos espanhóis?

2 - Qual é a sua opinião quanto à forma como os vinhos são tratados na restauração em Espanha?

3 - Há cada vez mais mulheres ligadas a vários aspectos relacionados com a produção de vinhos. Há cada vez mais mulheres a comprar e beber vinho.
Há vinhos de mulheres? Há vinhos para mulheres? Ou seja há características proprias dos vinhos feitos por mulheres e/ou dos vinhos consumidos por mulheres?


1- Sí, mucha gente se interesa por el vino español, pero a menudo se dan cuenta que los 'tintos modernos' son totalmente incompatibles con la cocina 'moderna'. Por eso pienso que cada vez hay m´s interés por los blancos. Y espero que los tintos más frescos y equilibrados, y que nos vayamos olvidando de los excesos con la madera.

2- Hay de todo, pero vamos mejorando. Se ve muy claramente cuando en un restaurante hay alguien a quien le interesa el vino. Lo que todavía es una pena es el tratamiento del vino (y la calidad de este) cuando quieres tomas unas tapas. Entonces lo más seguro es beber cerveza...

3- Pues no lo se, pero si quieres que te diga, la verdad es que no me interesa.

Beijinhos
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Usuário
Spice Girl



Registrado: Quarta-Feira, 4 de Janeiro de 2006
Mensagens: 6059
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Seg Mar 16, 2009 11:46 pm    Assunto: Responder com Citação

Olá

Luis Gutiérrez escreveu:

1- Sí, mucha gente se interesa por el vino español, pero a menudo se dan cuenta que los 'tintos modernos' son totalmente incompatibles con la cocina 'moderna'. Por eso pienso que cada vez hay m´s interés por los blancos. Y espero que los tintos más frescos y equilibrados, y que nos vayamos olvidando de los excesos con la madera.

De facto nalgum tipo de menus, que são sequências de pratos muito diferentes e muito pequenos parece-me particularmente difícil.
Como fazes nessas situações?


Citação:
3- Pues no lo se, pero si quieres que te diga, la verdad es que no me interesa.

Gostei da resposta! Laughing (Também não sei se me interessa muito, acho que me interessava mais ver o que dizias. Laughing Laughing )

Por curiosidade... como te interessaste por vinho e como foi o teu percurso no mundo do vinho?
_________________
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Pedro Gomes



Registrado: Segunda-Feira, 25 de Outubro de 2004
Mensagens: 1102
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Ter Mar 17, 2009 12:05 am    Assunto: Responder com Citação

Caro Luis Gutiérrez,

Começámos a um bom ritmo. Avancemos para mais uma ronda.

Seria quase um crime entrevistar um crítico espanhol e não trazer para a conversa Jerez e Sanlúcar de Barrameda, verdadeiras "jóias da Coroa".

1- Como explica que um dos mais extraordinários vinhos do mundo não receba o devido reconhecimento internacional?

2- Onde está o segredo que conduz ao mistério/fascínio dos vinhos de Jerez? Nos solos? Na mistura de influências atlântica e mediterrânica? Nas castas Palomino, Moscatel e Pedro Ximénez?

3- Para nós, portugueses, isso é tudo muito complicado. O que é isso do "véu da flor"? E, para que serve? Basicamente, como funciona esse método de envelhecimento dos vinhos baseado no sistema de "criaderas" e "soleras"?

4- Um pouco à semelhança do universo "Porto", a nomenclatura utilizada na Andaluzia não é fácil: Fino, Manzanilla, Amontillado, Palo Cortado, Oloroso, East India e Pedro Ximénez. É possível, em linhas muitos gerais, distinguir esta diversidade de estilos?

5- Casas "clássicas" como Domecq, González Byass e Osborne continuam a mostrar os melhores vinhos? Ou há nomes com menor tradição que merecem uma atenção muito especial?

6- Pela experiência que tem com esse tipo de vinhos, pedia-lhe que sugerisse um acompanhamento à mesa com um Fino? E que propõe para o "difícil" PX?


Um grande abraço e... até já!

Pedro
_________________
Nova Crítica-Vinho & Gastronomia
Paulina Mata
Pedro Gomes


Editado pela última vez por Pedro Gomes em Qui Mar 19, 2009 1:46 pm, num total de 1 vez
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Miguel Gouveia



Registrado: Terça-Feira, 13 de Dezembro de 2005
Mensagens: 678
Localização: Porto

MensagemEnviada: Ter Mar 17, 2009 1:05 am    Assunto: Responder com Citação

Caro Luiz Gutierrez,

Faço minhas as palavaras do André Braga da Cruz, foi óptimo poder partilhar a vertical do Soalheiro contigo. E o 1994 realmente Rocks! Rocks!

As minhas perguntas:

- Se te dessem oportunidade de fazeres um vinho de mesa Cool , que tipo de vinho fazias? A onde e com que uvas?

- Quais as principais características que um vinho de mesa tem de ter para te seduzir?

- Em Portugal está muito na moda os produtores elaborarem vinhos de colheita tardia, em terroirs sem grande aptidão para os mesmos, e que são vendidos logo na sua primeira colheita ao preço de alguns sauternes de muito boa qualidade. Em Espanha assiste-se a um fenómeno semelhante?

Um abraço,

Miguel
_________________
Quanto mais se prova, mais se aprende. Quanto mais se aprende, mais se quer provar.

Miguel Gouveia
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Miguel Gouveia



Registrado: Terça-Feira, 13 de Dezembro de 2005
Mensagens: 678
Localização: Porto

MensagemEnviada: Ter Mar 17, 2009 1:36 am    Assunto: Responder com Citação

Spice Girl escreveu:
Olá

Luis Gutiérrez escreveu:

1- Sí, mucha gente se interesa por el vino español, pero a menudo se dan cuenta que los 'tintos modernos' son totalmente incompatibles con la cocina 'moderna'. Por eso pienso que cada vez hay m´s interés por los blancos. Y espero que los tintos más frescos y equilibrados, y que nos vayamos olvidando de los excesos con la madera.

De facto nalgum tipo de menus, que são sequências de pratos muito diferentes e muito pequenos parece-me particularmente difícil.


Paulina,

Não me parece ser muito difícil: Cava + Cava + Cava Cool !

PS: Luiz e NC desculpem o meio off-topic mas não resisti....
_________________
Quanto mais se prova, mais se aprende. Quanto mais se aprende, mais se quer provar.

Miguel Gouveia
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Mostrar os tópicos anteriores:   
Novo Tópico   Este Tópico está Bloqueado. Você não pode editar mensagens ou responder    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Entrevistas On-line Todos os horários são GMT + 1 Hora
Ir à página 1, 2, 3, 4, 5  Próximo
Página 1 de 5

 
Ir para:  
Enviar Mensagens Novas: Proibido.
Responder Tópicos Proibido
Editar Mensagens: Proibido.
Excluir Mensagens: Proibido.
Votar em Enquetes: Proibido.


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB