NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum NovaCrítica-vinho.com
Forum de Discussão
 
 FAQFAQ   PesquisarPesquisar   MembrosMembros   GruposGrupos   RegistrarRegistrar 
 PerfilPerfil   Entrar e ver Mensagens ParticularesEntrar e ver Mensagens Particulares   EntrarEntrar 

Entrevista com David Guimaraes/The Fladgate Partnership
Ir à página Anterior  1, 2
 
Novo Tópico   Este Tópico está Bloqueado. Você não pode editar mensagens ou responder    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Entrevistas On-line
Exibir mensagem anterior :: Exibir próxima mensagem  
Autor Mensagem
Guimaraens



Registrado: Terça-Feira, 12 de Mai de 2009
Mensagens: 7

MensagemEnviada: Sex Mai 15, 2009 12:15 am    Assunto: Responder com Citação

Rui Lourenço Pereira escreveu:
Bom dia,

Já passaram pelos olhos milhares de garrafas de vinho do Porto (em Portugal e no estrangeiro), contudo tanto quanto me lembro, e corrija-me se disser alguma asneira, apenas conheço no caso da Taylor's, Vintages não clássicos de Vargellas e da Terra Feita. As outras quintas não proporcionam eventuais vintages de qualidade? As suas uvas apenas dão para blends? E no caso da Fonseca? E da Croft, só temos Roêda?


Na Fonseca, por tradição sempre produzimos os Guimaraens em anos não classicos, utilizando os vinhos produzidos das nossa Quintas do Panascal, Cruzeiro e Stº Antonio.
Começamos a partir da decada de 90 a engarrafar vintage da Quinta do Panascal, ao lado do Guimaraens, e com mais expressão a partir de 2001. Não engarrafamos Vintage de Quinta das outras porque o mercado não tem espaço para todos, mas a qualidade deles é excepcional. Se não fossem, nem os Fonseca nem os Guimaraens seriam tão bons como são.

A Croft só tem a Quinta da Roeda, mas pela sua dimensão e qualidade, não sentimos a necessidade de ter mais.
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Guimaraens



Registrado: Terça-Feira, 12 de Mai de 2009
Mensagens: 7

MensagemEnviada: Sex Mai 15, 2009 12:32 am    Assunto: Responder com Citação

Spice Girl escreveu:
Caro David Guimaraens

Em primeiro lugar gostaria de lhe agradecer ter aceite este nosso desafio.

Tanto quanto me tenho apercebido na produção de vinho há uma mistura de diversos factores a considerar, de que se podem destacar a criatividade individual (arte), os aspectos científicos e técnicos (ciência) e os aspectos económicos. Relativamente aos dois primeiros aspectos (arte e ciência), há certamente uma ligação forte entre eles. Imagino que para produzir vinhos com qualidade e personalidade, ou seja para que o "artista" consiga expressar o que pretende, tem que dispor das condições técnicas necessárias e dominá-las com algum à vontade. Como pensa que se posiciona a indústria de vinhos portuguesa, nesta época de grande inovação tecnológica, por comparação com a mesma indústria noutros países?
O que pensa do state of the art do conhecimento científico relacionado com a produção de vinhos?
Há uma aplicação satisfatória deste conhecimento na produção de vinhos em Portugal?

Um dos assuntos que tem sido discutido frequentemente aqui no fórum tem sido o dos vedantes usados no vinho, e em particular a utilização ou não de rolhas de cortiça. São discussões geralmente com uma grande carga emotiva. Qual é o seu ponto de vista em relação a este assunto? Como está a indústria de vinhos a lidar com este problema?

A um país/região produtor de vinhos está geralmente associado uma componente turística que, tendo em conta o interesse que o vinho actualmente desperta um pouco por todo o mundo, pode ter uma grande expressão económica. Este aspecto de “valor acrescentado” da produção de vinhos, tanto quanto me apercebo, não tem sido suficientemente explorado em Portugal. Qual a sua opinião sobre este assunto e sobre as suas potencialidades?


A tecnologia no mundo dos vinho é um pau de dois bicos. Por um lado conseguimos mais consistencia de qualidade, por outro os vinhos tendem a perder personalidade.
Não é necessário tecnologia para produzir bom vinho, mas é preciso muita arte para produzir grandes vinhos com personalidade.

Espero que portugal não vá pelo caminho da tecnologia. Adegas modernas e bem equipadas não são a mesma coisa que a utilização de tecnologia na vinficação. A Tecnologia é quando se utiliza equipamento como concentradores, extractores de alcool, etc nas adegas.
Os bons vinhos tem de ser feitos através de uma boa dedicação a viticultura, escolha de local para as vinhas e a combinação das castas.


Quanto aos vedantes, penso que há muita emoção a criar nevoeiro, mas é natural no nosso pais lider na produção de rolhas de cortiça.

A minha opinião pessoal é que para vintage e vinhos tintos, devemos utilizar rolhas naturais de cortiça (não rollhas tecnicas), onde não tenho duvidas em que estes precisam de as ter para evoluir bem. No caso da maior parte dos vinhos brancos, eu gostava de ver utilizado ao o screwcap, ao os stoppers de vidro. Aqui a frescura é melhor, e a facilidade se servir é optimo.

Rolhas sintecticas são uma fraca imitação, e utilizadas por cobardes que não tem coragem de utilizar screwcap.


O componente enoturistico tem pouca expressão por uma questão cultural, em que até a poucos anos não existia o interesse nacional em visitar as adegas ao caves. Repare que no Porto, são poucos os Portugueses que já visitaram as caves.
Nos ultimos anos tem surgido cada vez mais fabulosos centros de visitas nas adegas e Quintas, e hoje há uma preocupação grande no desenho das adegas para este aspecto. O futuro é muito promissor nesta area.
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Ched



Registrado: Sexta-Feira, 13 de Fevereiro de 2004
Mensagens: 174
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Sex Mai 15, 2009 9:46 am    Assunto: Responder com Citação

Bom dia David Guimaraes,

Podia classificar e caracterizar os vintage da década de 80 e 90 da Fonseca?

Obrigado e cumprimentos,

_João Chêdas
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Spice Girl



Registrado: Quarta-Feira, 4 de Janeiro de 2006
Mensagens: 6059
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Dom Mai 24, 2009 4:32 pm    Assunto: Responder com Citação

Caro David Guimaraens

A curiosidade e vontade de saber mais dos participantes deste forum é muita e por vezes quase "exigimos" o impossível... agradeço-lhe a sua participação nesta entrevista e a oportunidade que nos deu de conhecermos um pouco a visão de quem "está do outro lado".

Cumprimentos

Paulina Mata
_________________
"Inquisitiveness was a key feature." Heston Blumenthal
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail
Pedro Gomes



Registrado: Segunda-Feira, 25 de Outubro de 2004
Mensagens: 1102
Localização: Lisboa

MensagemEnviada: Dom Mai 24, 2009 8:34 pm    Assunto: Responder com Citação

Caro Engenheiro David Guimaraens,

Infelizmente, por uma série de imponderavéis que nos ultrapassam, esta entrevista acabou por não ter o impacto que ambos gostariamos que tivesse tido.

Claro está que isso acaba por ser um motivo acrescido para que num futuro próximo queiramos voltar a ouvi-lo, dando conta da sua experiência e do extraordinário trabalho que tem feito no grupo The Fladgate Partnership.

Em meu nome pessoal, e em nome da Nova Crítica - Vinho e Gastronomia, queria endereçar-lhe o meu agradecimento pela sua disponibilidade e sinceros parabéns pela excelência dos seus vinhos.

Muito obrigado...

Um grande abraço e... até já!

Pedro
_________________
Nova Crítica-Vinho & Gastronomia
Paulina Mata
Pedro Gomes
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Usuários Enviar Mensagem Particular
Mostrar os tópicos anteriores:   
Novo Tópico   Este Tópico está Bloqueado. Você não pode editar mensagens ou responder    NovaCrítica-vinho.com - Índice do Fórum -> Entrevistas On-line Todos os horários são GMT + 1 Hora
Ir à página Anterior  1, 2
Página 2 de 2

 
Ir para:  
Enviar Mensagens Novas: Proibido.
Responder Tópicos Proibido
Editar Mensagens: Proibido.
Excluir Mensagens: Proibido.
Votar em Enquetes: Proibido.


Powered by phpBB © 2001, 2005 phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB